Random header image... Refresh for more!

Category — Música

Top 25 discos mais ouvidos: Agosto 21

Segundo a minha LastFM em contagem da Tap Music:

TOP 25 do mês de Agosto

01) Joni Mitchell Archives – Vol. 1: The Early Years (1963-1967)
02) “Papapaparty”, DeFalla
03) “Look Now” (Deluxe Edition), Elvis Costello
04) “Corisco”, Bonifrate
05) “Solar Power”, Lorde
06) “Coração Selvagem”, Belchior
07) “Bitter Tears”, Johnny Cash Sings Ballads Of The American Indian
08) “A Short Album About Love (2020 Reissue)”, The Divine Comedy
09) “Pra Toda Superquadra Ouvir (Parte 2)”, Beto Só
10) “Happier Than Ever”, Billie Eilish
11) “The Nomad Series, Vol. 4: The Wilderness”, Cowboy Junkies
12) “Homogenic (Live)”, Björk
13) “Hot Rocks (1964-1971)”, The Rolling Stones
14) “Home Video”, Lucy Dacus
15) “Seres verdes ao redor”, Supercordas
16) “One Head, Two Arms, Two Legs”, Dawn Of The Replicants
17) “American Life”, Madonna
18) “Dreaming in Paradise – Live Radio Broadcast 1983”, R.E.M.
19) “Belchior”, Belchior
20) “Rock and Roll Circus – Expandend Edition”, The Rolling Stones
21) “A Color Of The Sky”, Lightning Bug
22) “I Walk The Line”, Johnny Cash
23) “Alucinação”, Belchior
24) “The Nomad Series, Vol. 3: Sing In My Meadow”, Cowboy Junkies
25) “Da Licenca Meu Senhor”, João Bosco

Para alegria de quem não havia conseguido a primeira edição, que já estava custando uma fortuna nos sites de revenda, o boxe “Tudo Outra Vez”, com seis álbuns de Belchior remasterizados e repletos de faixas bonus, retornou às lojas (aparentemente numa tiragem de 400 exemplares) em preços honestos. E ele desencadeou um mergulho na discografia do artista, por isso três discos dele aparecem neste mês (aguarde que outros virão). Além de alguns lançamentos badalados do mês (Lorde, Billie Eilish, Lucy Dacus – que é de uns meses atrás, e meu favorito dessa leva feminina), algumas pérolas perdidas surgidas de textos publicados no Scream & Yell (Joni Mitchell, DeFalla, Bonifrate e Supercordas, Lightning Bug) e discos “velhos” que pousaram aqui só agora (como os maravilhosos “Look Now”, de Elvis Costello, de 2018, e a dobradinha que fecha o quarteto sensacional de álbuns lançados pelo Cowboy Junkies na “The Nomad Series” em 2011/2012). Ainda sigo ouvindo o box “Complete Columbia Records”, do Johnny Cash (cheguei aos discos 12 e 13 – “só” faltam 50), e mergulhado na discografia da Björk. A partida de Charlie Watts rendeu um mergulho saudoso na estupenda coletânea “Hot Rocks (1964-1971)” e na versão dupla, estendida, de “Rock and Roll Circus”, a maior vitória de um time adversário (no caso, o The Who) na casa do mandante. Ainda tem Divine Comedy <3 e Beto Só, cujo disco pode ser baixado gratuitamente no Scream & Yell, mais um bootleg do R.E.M. (ao vivo afiado em 1983), Madonna (peguei sem pensar pra ouvir após um comentário no Twitter e… tá ai o resultado), Dawn of The Replicants (também derivado de um comentário no Twitter) e um disco do João Bosco comprado por R$ 5 num sebo do bairro. Que venha setembro!

setembro 1, 2021   No Comments

Top 25 discos mais ouvidos: Julho 21

Segundo a minha LastFM em contagem da Tap Music:

TOP 25 do mês de Julho

01. “R.E.M. At The BBC”, R.E.M.
02. “Just Another Band from East L.A.: A Collection”, Los Lobos
03. “Husker Du Live… First Avenue 85”, Hüsker Dü
04. “One Mississippi”, Brendan Benson
05. “Portas”, Marisa Monte
06. “Suíte Bipolar em Dó Maior”, Dario Julio & Os Franciscanos
07. “Aoxomoxoa (50th Anniversary Deluxe Edition)”, Grateful Dead
08. “Happier Than Ever”, Billie Eilish
09. “Homem Mulher Cavalo Cobra”, Morris
10. “Juliana Cortes, 3”, Juliana Cortes
11. “Drama”, Rodrigo Amarante
12. “New York (Deluxe Edition)”, Lou Reed
13. “ECDISE”, Liège
14. “Atiça”, Banda Eddie
15. “1915-1998”, Frank Sinatra
16. “Olho de Vidro”, Jadsa
17. “Sankofa”, Amaro Freitas
18. “Private Reasons”, Bruno Pernadas
19. “Grotesque Radio”, Golem Dance Cult
20. “Que Fim Levou Meu Sorriso”, Mopho
21. “Tiny Music… Songs From The Vatican Gift Shop (Super Deluxe Edition)”, Stone Temple Pilots
22. “Tradição Improvisada”, Nelson da Rabeca
23. “Homogenic”, Björk
24. “Viagem ao Fim da Noite”, Supercolisor
25. “A Barca Dos Amantes”, Milton Nascimento

Ao mesmo tempo em que o Top 25 acima tem várias velharias, também tem bastante coisa nova, num dos raros meses em que, acredito, consegui equilibrar bem saudade e novidade. Finalmente consegui adquirir a versão fisica do box com 8 CDs e 1 DVD que flagra os registros do R.E.M. em programas da BBC – e é tudo tão sensacional que só consigo pensar como essa banda teve a cara de pau de colocar um fim na carreira. Na sequencia, a maravilhosa coleta dupla do Los Lobos (nas cabeças pelo segundo mês consecutivo) e um baita bootleg do Husker Dü.

Entre os destaques, para mim, dois discos maravilhosos que ouvi pouco na época do lançamento, mas que retornaram com força nesses dias cinzentos: “Homem Mulher Cavalo Cobra”, de Morris, e “Juliana Cortes, 3”, de Juliana Cortes. Me apaixonei por ambos. Tem também o novo EP de Dario Julio, o EP da Golem Dance Cult e o último disco do Milton Nascimento presente no box da Editora Abril, que eu tava ouvindo em sequencia – aliás, o mês foi bastante disputado, porque era pra ter mais Björk presente. Quem sabe mês que vem…

agosto 1, 2021   No Comments

Alceu, 75: As mais tocadas!

Alceu Valença é considerado um dos mais importantes representantes da música nordestina, com canções de estilo próprio e muita poesia. Dois de seus sucessos, “Anunciação” e “Tropicana”, se destacaram no estudo realizado pelo Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) sobre a sua obra, em homenagem ao seu aniversário. O cantor e compositor pernambucano, que completou 75 anos na quinta-feira, dia 01 de julho, tem 298 canções e 620 gravações cadastradas no banco de dados da instituição.

“Anunciação” e “Tropicana” ficaram em primeira e segunda colocação, respectivamente, nos rankings das músicas de Alceu Valença mais gravadas por outros intérpretes e mais tocadas nos últimos cinco anos no Brasil. Neste período, mais de 65% dos rendimentos em direitos autorais pela execução pública de música destinados ao cantor foram referentes aos segmentos de Shows, Música ao vivo e TVs.

No Scream & Yell, Alceu foi homenageado nos seus 70 anos, cinco anos atrás, com o tributo “Ainda Há Coração”, que junta as guitarradas do duo sergipano The Baggios (aqui em formato quarteto com teclas e baixo) que colocou peso sem perder o carinho em “Vou Danado Pra Catende”, com a delicadeza new caipira de Judas em “Cópias Malfeitas”, mais a batucada latina dos pampas que une o rosarino Ariel Migliorelli com a gaúcha Lara Rossato em “Batendo o Tambor” ou mesmo na comovente e delicada interpretação de Nevilton para “Tropicana”. Há, ainda, a new psicodelia de Luiza Lian, Bruno Souto e Tagore (em “Anunciação” e “La Belle de Jour – Girassol”) e a eletrônica a favor da canção na bonita versão de “Coração Bobo” pela uruguaia Papina de Palma. Ouça tudo aqui.

Abaixo, você confere o ranking de músicas mais tocadas de autoria de Alceu Valença nos últimos cinco anos nos principais segmentos de execução pública (Rádio, Sonorização Ambiental, Casas de Festa e Diversão, Carnaval, Festa Junina, Show e Música ao Vivo), segundo o ECAD.

01 Anunciação
02 Tropicana (Vicente Barreto / Alceu Valença)
03 La belle de jour
04 Táxi lunar (Zé Ramalho / Alceu Valença / Geraldo Azevedo)
05 Como dois animais
06 Girassol
07 Coração bobo
08 Ciranda da rosa vermelha
09 Caravana (Alceu Valença / Geraldo Azevedo)
10 Pelas ruas que andei (Vicente Barreto / Alceu Valença)
11 Solidão
12 Cabelo no pente (Vicente Barreto / Alceu Valença)
13 Bicho maluco beleza
14 Dia branco
15 Flor de tangerina
16 Papagaio do futuro
17 Eu quero ver você dizer que eu sou ruim (Aracílio Araújo / Alceu Valença / Alcymar Monteiro)
18 Estação da luz
19 Na primeira manhã
20 Cavalo de pau

julho 2, 2021   No Comments

Podcast Cópias Originais: Belchior

O queridíssimo jornalista e amigo Gil Luiz Mendes, colaborador do Scream & Yell e parceiro das boas botecagens, me convidou para participar de seu novo podcast, o Cópias Originais, focado em versões (não covers!) pessoais da obra de um determinado artista.

Para o episódio em que recebi o convite, o escolhido foi Belchior, e elencamos juntos oito covers bem maneiras (incluindo essa do post, lançada num tributo do Scream & Yell) além de declararmos nosso amor por esse artista incrível. Ouça aqui. Prestigia a gente <3

julho 2, 2021   No Comments

Top 25 discos mais ouvidos: Junho 21

Segundo a minha LastFM em contagem da Tap Music:

TOP 25 do mês de Junho

01 “Summerteeth (Deluxe Edition)”, Wilco
02 “Home Video”, Lucy Dacus
03 “Encontros E Despedidas”, Milton Nascimento
04 “Programa Ensaio 1991”, Carlos Lyra
05 “La Bamba Live December 1987”, Los Lobos
06 “Post”, Björk
07 “Hey Clockface”, Elvis Costello
08 “Western Stars”, Bruce Springsteen
09 “McCartney III”, Paul McCartney
10 “Winterland Theatre; San Francisco, CA, June 7, 1978”, Elvis Costello
11 “Schmilco”, Wilco
12 “Benvenuti”, Selton
13 “Controversial Negro: Live In Tucson”, The Jon Spencer Blues Explosion
14 “MPB Especial 1972”, Adoniran Barbosa
15 “Delta Kream”, The Black Keys
16 “Ode To Joy”, Wilco
17 “Before The Fame Volume”, Bruce Springsteen
18 “Olho de Vidro”, Jadsa
19 “A Festa dos Micos”, João Penca E Seus Miquinhos Amestrados
20 “MPB Especial 1973”, Lupicínio Rodrigues
21 “Acustico”, Céu
22 “Terra Prometida”, Jónatas Pires
23 “O Adeus de Fellini”, Fellini
24 “Traveling On”, The Decemberists
25 “Sem Pensar No Amanhã”, Alceu Valença

Junho foi um mês de mergulhar na discografia recente do Wilco, caminhar para o final do box Abril do Milton Nascimento (agora só falta “A Barca dos Amantes”, e que passeio incrível foi) e dedicar algumas horas maravilhosas ao box 1 da série do Sesc que oficializa em CD os áudios dos programas MPB Especial e Ensaio, de Rodrigo Faro: o show de Carlos Lyra é uma aula imensurável – “No tempo que morei no México sempre estive envolvido com o grupo de artistas de lá. Encontrei Buñuel certa vez… E teve outra que decidiram encenar uma peça musical de teatro minha, e me apresentaram um cara para traduzir o texto do português para o espanhol. Ficou excelente. Um pouco depois esse cara lançou ‘Cem anos de solidão'”… O de Adoniran é uma comédia deliciosa, um daqueles discos / shows que a gente tem vontade de morar dentro. E o do Lupicinio, uma revelação.

Tiveram também alguns dos meus discos favoritos de 2021: o novo da Lucy Dacus (que garota incrível!), o quinto da Selton (estou viciado nele), o Black Keys pagando tributo a suas influências com um discão reverente, mas bem bão; mais o belíssimo “Olho de Vidro“, da Jadsa; no embalo da cobertura do show do Jónatas Pires, pelo Pedro Salgado, mergulhei em seu “Terra Prometida” e, também, nas revisitações de repertório de Céu (“Acústico”) e Alceu Valença (“Sem Pensar no Amanhã”). Também voltei com mais atenção a alguns discos de anos anteriores, como “Hey Clockface“, de Elvis Costello, “Western Stars”, de Bruce Springsteen (preciso atualizar a discografia comentada dele), “McCartney III”, de Paul McCartney (uma baita surpresa boa) e o belíssimo EP “Traveling On”, de Decemberists.

Outra seção tradicional de meus “mais ouvidos” do mês são os bootlegs: “La Bamba Live December 1987” registra um showzaço do Los Lobos em sua fase mais popular transmitido em rádio; também retirado de uma transmissão de radio, “Winterland Theatre; San Francisco, CA, June 7, 1978” flagra Elvis Costello na turnê de seu primeiro disco (mas já mostrando coisas do segundo) nos EUA. Há, ainda, o bootleg oficial (lançado no Japão) “Controversial Negro: Live In Tucson”, da The Jon Spencer Blues Explosion e uma compilação dupla de raridades pré primeiro disco de Bruce Springsteen. Fechando o pacote, algumas coisas inusitadas como “Post”, da Björk (decidi mês passado reouvir a discografia dela com atenção novamente), uma coletânea do João Penca E Seus Miquinhos Amestrados que só consegui física agora e “O Adeus de Fellini”, no embalo da grande entrevista que Manoel Magalhães fez com os caras para o Scream & Yell. Bora pra julho…

julho 1, 2021   No Comments

Bob Dylan, Sarah Oliveira, Fabrício Corsaletti e eu

Sério. Serião. Terminei de escrever o post passado pensando: “amanhã escrevo algo e pego o embalo”. Fui dormir e, quando abri os olhos, se passaram 10 dias. Voaram.

Tomei a primeira dose da Coronavac (#vacinese!), vi duas corridas de F1 com Martín de olho vidrado na televisão (na segunda ela já estava com três carros de F1 que dei pra ele no meio de semana, e que ele chama de Rémilton, Vestapen e Ferrari), ouvi um punhado de discos, atualizei diariamente o site e… não apareci por aqui.

Ahh, também participei daquele bate papo que eu falava no post anterior: a convite do maravilhoso In-‘Edit Brasil, dividi a tela com Sarah Oliveira e Fabricio Corsaletti num papo apaixonado sobre a música e a poesia de Bob Dylan. Muitas histórias. É só clicar abaixo e vir com a gente…

junho 27, 2021   No Comments

Top 25 discos mais ouvidos: Maio 21

Segundo a minha LastFM em contagem da Tap Music:

TOP 25 do mês de Maio

01) Daddy’s Home, St. Vincent
02) OxeAxeExu, BaianaSystem
03) Benvenuti, Selton
04) Ben Folds Live, Ben Folds
05) El Justiciero, Cha, Cha, Cha: Un Tributo a Os Mutantes
06) The Sound of Johnny Cash, Johnny Cash
07) Debut, Björk
08) Maleza, Bala
09) Dark Light, Arkets
10) Kid Vinil, Kid Vinil
11) Delta Kream, The Black Keys
12) Debut (Live), Björk
13) mossas, Churky
14) Ring of Fire: The Best of Johnny Cash, Johnny Cash
15) Noite Vem, Noite Vai, TNT
16) Morsa, Serena Altavilla
17) Endless Arcade, Teenage Fanclub
18) Rough and Rowdy Ways, Bob Dylan
19) Evolução, Vol. 1, Plebe Rude
20) Third / Sister Lovers, Big Star
21) Anos 70 (Ao Vivo), Zé Ramalho
22) A Farsa Do Samba Nublado, Wado e Realismo Fantástico
23) Push Barman to Open Old Wounds, Belle and Sebastian
24) Through the Past, Darkly (Big Hits Vol. 2), The Rolling Stones
25) 1958 Miles, Miles Davis

junho 1, 2021   No Comments

As músicas mais tocadas de Bob Dylan no Brasil

Um dos nomes mais importantes da música mundial, Bob Dylan completa 80 anos nesta segunda-feira, dia 24. Cantor, compositor e artista visual, ele vem fazendo história ao longo da carreira e já ganhou prêmios como Grammy, Oscar, Pulitzer, Globo de Ouro e Nobel de Literatura. No ano passado, foi apontado como o único artista a ter um álbum no Top 40 da revista Billboard desde 1960, em todas as décadas. Em sua homenagem, o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) fez um levantamento especial sobre as suas canções mais tocadas no Brasil.

Nos últimos cinco anos, a música mais tocada de Bob Dylan no país nos principais segmentos de execução pública foi “Knockin’ on heaven’s door”, uma composição que fez parte da trilha sonora do filme “Pat Garrett & Billy The Kid” e que ganhou versões famosas feitas por Guns N’ Roses, Eric Clapton e Zé Ramalho. No top 3 deste ranking também ficaram “Blowin’ in the wind” e “Romance no Deserto”, uma versão da música “Romance in durango” de Bob Dylan, que tem também a autoria de Jacques Levy e Fausto Nilo. É importante ressaltar que os artistas que fazem versões de músicas também são considerados autores.

O Ecad apontou ainda os cinco intérpretes e bandas que mais gravaram as músicas de Bob Dylan. Na liderança, o paraibano Zé Ramalho, que já gravou álbum em homenagem ao norte-americano e fez versões de suas músicas. Em seguida, Rod Stewart, Brent Mydland, The Byrds e Roxy Music.

Bob Dylan é o nome artístico de Robert Allen Zimmerman. O cantor nasceu em Minnesota, nos Estados Unidos, no ano de 1941. No banco de dados do Ecad, ele tem 940 canções e 2.114 gravações cadastradas. A maior parte de seus rendimentos em direitos autorais pela execução pública de suas músicas no Brasil foi proveniente dos segmentos de Rádio, TV e Show, que correspondem a mais de 70% do que foi destinado a ele nos últimos cinco anos. Os valores arrecadados no Brasil são distribuídos pelo Ecad para a associação brasileira que representa o Bob Dylan e esta, por sua vez, repassa esses valores para a associação estrangeira à qual o artista é filiado.

Ranking de músicas de autoria de Bob Dylan mais tocadas no Brasil nos últimos cinco anos nos principais segmentos de execução pública (Rádio, Sonorização Ambiental, Casas de Festa e Diversão, Carnaval, Festa Junina, Show e Música ao Vivo).

01) “Knockin’ on Heaven’s Door”, Bob Dylan
02) “Blowin’ in the wind”, Bob Dylan
03) “Romance no Deserto”, Bob Dylan / Jacques Levy / Fausto Nilo
04) “Like a Rolling Stone”, Bob Dylan
05) “Lay Lady Lay”, Bob Dylan

06) “Batendo na Porta do Céu”, Bob Dylan / Zé Ramalho
07) “Forever Young”, Kevin Savigar / Cregan Jim / Bob Dylan / Rod Stewart
08) “Tanto”, Bob Dylan / Chico Amaral
09) “Negro Amor”, Bob Dylan / Caetano Veloso / Pericles Cavalcanti
10) “O Amanhã é Distante”, Bob Dylan / Babal / Geraldo Azevedo

11) “All Along the Watchtower”, Bob Dylan
12) “Mr Tambourine Man”, Bob Dylan
13) “Tá Tudo Mudando”, Bob Dylan / Mauricio Baia / Gabriel Moura
14) “O Vento vai Responder”, Bob Dylan / Ze Ramalho
15) “Hurricane”, Jacques Levy / Bob Dylan

maio 24, 2021   No Comments

Top 25 discos mais ouvidos: Abril 21

Segundo a minha LastFM em contagem da Tap Music:

TOP 25 do mês de Abril

01) “1970”, Bob Dylan
02) “The Bootleg Series, Vol. 15: Travelin’ Thru, 1967 – 1969”, Bob Dylan
03) “The White Album [50th Anniversary Super Deluxe Edition]”, The Beatles
04) “Odelay (Deluxe Edition)”, Beck
05) “Hitchhiker”, Neil Young
06) “Sob a Influência – Tributo a Tom Bloch”, vários
07) “Rock of Ages (Expanded Edition)”, The Band
08) “Rey Sol”, Fito Páez
09) “Titãs Trio Acústico”, Titãs
10) “The Visitor”, Neil Young
11) “Acústico Paulinho da Viola”, Paulinho Da Viola
12) “Rodolfo”, Fito Páez
13) “Anima”, Milton Nascimento
14) “Now There Was A Song!”, Johnny Cash
15) “Not Too Late”, Norah Jones
16) “The Fabulous Johnny Cash”, Johnny Cash
17) “Two Rooms: Celebrating The Songs Of Elton John & Bernie Taupin”, vários
18) “Live In Germany 1983”, U2
19) “Teoria da Terra Plena”, Lucas Vasconcellos
20) “Boston 1994”, The Afghan Whigs
21) “Lulu”, Lulu Santos
22) “Hymns By Johnny Cash”, Johnny Cash
23) “Hymns From The Heart”, Johnny Cash
24) “It (Remastered)”, Pulp
25) “Caça A Raposa”, João Bosco

maio 1, 2021   No Comments

Bate papo no MPB em movimento

Atendendo ao convite do MPB em Movimento, conversei com o grande amigo, jornalista, produtor e editor do site el Cabong, Luciano Matos, sobre “O papel do crítico musical na cena contemporânea”. A intermediação foi de Romário Almeida. Assista abaixo.

abril 27, 2021   No Comments